Notícias

Maioria dos consumidores já foi vítima de discriminação no comércio, aponta Procon-SP

Levantamento com 1.659 pessoas indica que 55,15% queixaram-se de preconceito motivado por cor da pele ou gênero

Pesquisa da Fundação Procon-SP com 1.659 consumidores indica que a maioria deles, 55,15% (915), já sofreu discriminação ao estabelecer ou pretender estabelecer uma relação de consumo. É possível acessar a pesquisa completa neste link.

O levantamento revelou ainda que 62,40% dos discriminados possuem baixo poder aquisitivo e que a condição financeira foi o principal motivo da discriminação nas relações de consumo na percepção dos entrevistados (60,77%), seguidos pela cor (15,96%) e por ser mulher (8,20%).

Quanto ao local onde as pessoas foram discriminadas, os mais citados foram: 36,17% (331) declararam ter sido em uma loja (de roupas, calçados, eletroeletrônicos, entre outras), 16,28% (149) em estabelecimento financeiro (banco, financeira, seguradora e similares), 8,31% (76) em shopping center, 5,90% (54) em estabelecimento que oferece refeições e 47 (5,14%) em concessionária de serviço público.

Diante da discriminação, a maioria, 56,83% (520) não tomou nenhuma atitude; 28,74% (263) apenas exigiram respeito aos seus direitos; 10,16% (93) notificaram a Ouvidoria da empresa; e, somente, 4,26% (39) denunciaram às autoridades competentes, sendo que 18 recorreram ao Procon.

Os consumidores que foram discriminados ao estabelecer ou tentar estabelecer uma relação de consumo podem reclamar nos canais de atendimento do Procon-SP. É fundamental que o consumidor faça sua denúncia para garantir o seu direito e para que a fundação possa apurar o fato sempre com o objetivo de equilibrar e harmonizar as relações de consumo.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar